4003-3219ATENDIMENTO EM TODO BRASIL COM LIGAÇÃO LOCAL - CAPITAIS E REGIÕES METROPOLITANAS
Central de atendimento: (11) 2591-2900 CENTRAL DE ATENDIMENTO.
logo do portal bolsas de estudo

Veja ao lado todas as cidades que oferecemos bolsas de estudo.

Selecione:

Estudo realizado por brasileiros e israelenses revela que melatonina é auxiliar importante para sucesso de transplantes de medula

Estudo realizado por brasileiros e israelenses revela que melatonina é auxiliar importante para sucesso de transplantes de medula

Um estudo realizado por pesquisadores do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo – em colaboração com colegas do Instituto Weizmann de Ciências, de Israel – revelou que a melatonina pode ser definitiva para o sucesso de transplantes de medula.

Você sabe – ou lembra – o que é melatonina?

Trata-se do hormônio produzido à noite, no cérebro, pela glândula pineal, que tem a função de informar o organismo que está escuro e prepará-lo para o repouso noturno.

Pois bem, a pesquisa – publicada no periódico Cell Stem Cell – trouxe a excelente notícia que te demos lá no comecinho: a melatonina pode ajudar muito no processo de transplante de medula.

Para chegar a tal conclusão, os pesquisadores observaram a quantidade de células-tronco na medula de camundongos ao longo de 24 horas.

As análises indicaram que ocorrem dois picos diários de produção dessas células (às 11h e às 23h) e que eles são regulados pela transição entre as fases de mudança na entrada do dia ou da noite.

Regina Pekelmann Markus, coordenadora da pesquisa, explicou que “quando são 11 horas, as células-tronco da medula se proliferam e se diferenciam para formar células do sangue, e, às 23h, se proliferam, porém, ficam estocadas nos nichos dos ossos e isso viabiliza a existência de um ciclo diário de produção e reabastecimento dessas células na medula óssea".

Ok, mas como tal descoberta pode – efetivamente – contribuir com a Medicina e com a Ciência?

Nós te explicamos! Sempre segundo a responsável pela pesquisa, o achado pode contribuir com estratégias mais assertivas, que aumentem a eficiência da coleta de células-tronco em transplantes de medula em humanos.


[Fonte: UOL // Viva Bem]